Confira os vencedores do sorteio que a Rhino Motos promoveu sábado 26.03.16.
Todos os clientes que usaram os serviços da Oficina Especializada Rhino no período de 01/03 à 26/03 concorreram aos prêmios através do número das Ordens de Serviço.

1) LAVAGEM GRÁTIS:  (OS 12980) EDILSON R. MUCHAU

2) LAVAGEM GRÁTIS:  (OS 13073) EDERLI JUSTUS

3) LAVAGEM GRÁTIS:  (OS 13043) LUIZ F. DA SILVA SOARES
4) LAVAGEM GRÁTIS: (OS 13079) JORGE M. RAMOS
5) LAVAGEM GRÁTIS: (OS 13089) LUIZ F. MORETTO DA SILVA

6) CAPACETE Zeus: (OS 13021) BERNARDO D. GALASTRI

Em breve novos sorteios. Aguarde.

Em evento na capital paulista o aclamado lançamento 2015 recebeu o prêmio maior após superar 46 concorrentes.

Na noite deste 7 de outubro, em evento em São Paulo, durante o Salão Duas Rodas, foi anunciada a vencedora do título de Moto do Ano, premiação organizada pela revista Duas Rodas. Quarenta e seis lançamentos de 2015 concorreram ao título conquistado pela Kawasaki, com a Ninja H2. Jornalistas especializados, dos mais conceituados veículos do segmento no Brasil, elegeram a Ninja H2, que também venceu na categoria Sport.

Com o título, a Kawasaki recebeu o prêmio maior pelo segundo ano consecutivo: em 2014 a campeã foi a motocicleta Z1000.

Os jornalistas puderam testar todas as concorrentes em circuito fechado, a convite da revista, e elegeram as melhores em diversas categorias.

post 4 img 1

A Ninja H2 foi lançada pela Kawasaki no Brasil no primeiro semestre e impressionou com seu motor de 4 cilindros e 998 cc com compressor, 210 cavalos de potência e 13,6 kgfm de torque a 10.500 rpm. A superesportiva teve seu nome inspirado na clássica H2 de 1971, que na época revolucionou os padrões em matéria de desempenho. A supermoto Ninja H2 destaca-se também pela sua pintura, que leva uma fina camada de prata, garantindo seu efeito espelhado, monobraço traseiro de alumínio, sistema de embreagem de trocas rápidas (quick shifter), além de um fantástico sistema de tração, com nove níveis. Sua aerodinâmica foi especialmente estudada e projetada para aumentar a capacidade de inclinação da moto em altas velocidades.

Ricardo Suzuki, consultor de marketing da Kawasaki Motores do Brasil, comemorou a conquista e agradeceu a homenagem.

“ Tem sido um ano especial para a Kawasaki, com grandes lançamentos, e ter a Ninja H2 eleita a Moto do Ano é uma grande honra. Agradeço, em nome da Kawasaki, a todos os presentes, jornalistas, profissionais do setor e ao público por mais esta vitória”

A Ninja H2R, incrível versão para as pistas da H2, e outros grandes lançamentos da marca estão disponíveis no estande da Kawasaki no Salão Duas Rodas, que acontece de 7 a 12 de outubro no Anhembi.

Sobre a Kawasaki Motores do Brasil Ltda.: A Kawasaki Motores do Brasil Ltda (KMB) é uma subsidiária integral da Kawasaki Heavy Industries Ltd (KHI) sediada no Japão. Em operação no Brasil desde outubro de 2008, a marca atua na importação, produção e comercialização de motocicletas, quadriciclos e motos aquáticas através de uma base operacional em São Paulo e uma fábrica no Pólo Industrial de Manaus.

 

 

Testes em Jerez começam com a nova ZX-10R 2016.

post 3 img 1

 

Após Tom Sykes ter realizado ótimos testes por sua conta em Motorland Aragon, todo o time agora fará parte dos testes de inverno em Jerez de la Frontera.

Os testes precederão a próxima temporada do Campeonato Mundial de SuperBike (FIM) e terão a nova NINJA ZX-10R 2016.

Rea não participou dos testes em Motorland pois estava em casa para acompanhar o nascimento de seu segundo filho.
Agora, está ansioso para voltar aos testes pois já havia experimentado algumas partes do modelo 2016 logo após a conquista do campeonato de 2015, em setembro passado.

O circuito de Jerez possui particularidades que o tornam ideal para os testes e avaliações das máquinas pois há uma grande variedade de situações em seus 4.423 m de extensão como curvas, mudanças de nível, além é claro de um dos climas mais perfeitos da Europa.

Veja matéria original na íntegra:
http://www.worldsbk.com/en/news/2015/Rea+and+Sykes+take+to+Jerez+for+KRT+Winter+Test+two

 

O que há de mais próximo a uma motocicleta campeã do WORLD SUPERBIKE

post 2 img 2

A Ninja ZX-10R tem mostrado seu potencial em circuitos de forma muito clara através de seus resultados superlativos no campeonato mundial de Superbike (WSB) – nos últimos anos (2º lugar em 2012, 1º em 2013 e 2º em 2014) e este ano, onde os pilotos da Kawasaki estão dominando completamente a temporada atual. Com inúmeros benefícios do feedback do Kawasaki Racing Team, bem como das pesquisas e desenvolvimentos em andamento, a nova Ninja ZX-10R é o que há de mais próximo a uma Superbike de fábrica altamente avançada que a Kawasaki tem a oferecer.

Com uma maior performance, projetada para conseguir fazer tempos de volta ainda mais rápidos na pista, a Ninja ZX-10R está bem posicionada para continuar o domínio das Kawasaki Ninja ao redor do mundo.

Motor com foco em pistas de 998 cc com refrigeração líquida, 4 tempos, 4 cilindros em linha

Oferecendo a mesma mescla de alta potência e gerenciamento, com uma entrega de potência suave que ajuda a voltar a acelerar, as novas atualizações deste motor propiciam uma potência mais forte nas faixas das baixas e médias rotações para se obter uma aceleração mais rápida nas saídas de curva nas pistas. Um virabrequim mais leve foi incorporado resultando em uma característica de subida de giro rápido, bem como contribui para uma dirigibilidade mais leve. Uma quantidade de informações significativas foi coletada com a equipe de fábrica da categoria Superbike para assegurar a potência enorme do motor e manter as baixas emissões de poluentes requeridas pela legislação da Euro 4.

Potência e Aceleração

Completamente novo em 2011, o motor da Ninja ZX-10R equilibrava uma potência estonteante com gerenciamento, e a facilidade da retomada através da mudança do pico de torque para rotações mais altas. O novo motor mantém essa característica essencial, mas oferece mais força nas faixas de baixa e média rotações para melhorar as saídas de curva. O motor também está mais sensível, aumentando as rotações de forma mais rápida graças ao virabrequim com um menor momento de inércia – o que beneficia tanto a aceleração quanto a desaceleração, bem como a performance nas curvas. Inúmeras outras modificações baseadas no feedback da equipe de fábrica do campeonato mundial de Superbike bem como as pesquisas de desenvolvimento contribuíram aumentar a potência, garantindo que o pico de potência do motor fosse mantido e ao mesmo obedecessem às novas restrições do sistema que regula as emissões de poluentes, o Euro 4.

Chassis e dirigibilidade leve

O virabrequim mais leve e inúmeras mudanças no chassis entregam uma máquina de dirigibilidade muito mais leve. A marcante entrada de curvas mais fácil e a agilidade do chassis contribuem para fazer tempos de voltas mais rápidos.

Suspensão desenvolvida no WSB

A Ninja ZX-10R apresenta um novo garfo dianteiro desenvolvido em conjunto com a Showa no campeonato mundial de Superbike. Testado nas competições mundiais – e tendo provado ser um grande trunfo para o caminho da Kawasaki no campeonato mundial – essa tecnologia vinda diretamente das máquinas da equipe de fábrica da Kawasaki, faz sua estreia em produtos seriados na Ninja ZX-10R. O avançado garfo dianteiro da Showa, Balance Free Front Fork, é complementado pelo mais recente amortecedor traseiro também da Showa, o BFRC lite, uma versão mais compacta e mais leve de seu Balance Free Rear Cushion, também estreando na Ninja ZX-10R.

Sistema de freios Brembo de alta performance

Para melhorar ainda mais as entradas de curva da Ninja ZX-10R em circuitos, um sistema de freio dianteiro da Brembo foi implementado. O sistema da Brembo – muito similar ao sistema usado na Ninja H2R – inclui os melhores componentes disponíveis para uma produção seriada. Ajustes especiais na fábrica da Brembo garantem que todas as folgas são removidas do sistema, de modo que quando os freios são chamados ao trabalho, eles respondem imediatamente.

Ajudando os pilotos a explorarem o limite: Eletrônica Kawasaki de nova geração

A força da eletrônica de ponta da Kawasaki tem sido sempre programas altamente sofisticados que fornece à ECU uma fotográfica instantânea e real do que o chassis está fazendo com um mínimo de hardware. O programa de modelagem dinâmica proprietária da Kawasaki faz com habilidade o uso da fórmula mágica de modelagem dos pneus à medida que examina as mudanças em múltiplos parâmetros, permitindo levar em conta a mudança do tipo de pavimento e as condições dos pneus. Com a adição de uma IMU da Bosch (Unidade de medição inercial) a mais recente evolução dos softwares de modelagem, nossa tecnologia de gerenciamento eletrônico dá um passo para uma nova geração – mudando de sistemas de “ajustes” e “reações” para sistemas que dão feedback – de modo a entregar ainda mais níveis de prazer na pilotagem. Os sistemas de gerenciamento eletrônico na nova Ninja ZX-10R têm uma maior capacidade de facilitar o controle para o piloto e ajudar aos pilotos a experimentarem como é pilotar uma Superbike de alta potência no limite nas pistas.

Amortecedor de direção eletrônico Öhlins

Diferentemente de um amortecedor de direção mecânico – no qual os ajustes, uma vez realizados, devem cobrir todas as condições de pilotagem e velocidades – as características de amortecimento são modificadas eletronicamente de acordo com a velocidade do veículo, e o grau de aceleração e desaceleração. Em baixas velocidades, os ajustes foram escolhidos para que o amortecimento não interfira na ótima dirigibilidade leve intrínseca da motocicleta. Em altas velocidades, o amortecimento aumenta de modo a promover uma melhor estabilidade.

Estilo Racing Intencional

Baseada amplamente nas elegantes curvas de sua antecessora, o novo estilo da Ninja ZX-10R é intencional e facilmente reconhecível. A carenagem completa e a nova bolha, mais sua seção traseira volumosa dão ao pacote compacto de centralização de massas à frente, uma silhueta parecida com as máquinas da equipe de fábrica da Kawasaki. Encaixes de alta qualidade e acabamento e uma atenção fantástica aos detalhes garantem que a motocicleta é impressionante mesmo de perto. Em tributo à melhor performance da ZX-10R como resultado de inúmeros aproveitamentos do conhecimento adquirido nas pistas de corridas da equipe de fábrica, duas das três cores e grafismos disponíveis são baseadas no visual da equipe de fábrica do campeonato mundial de Superbike para 2016.

 

Marca comemora sucesso com grandes lançamentos no maior evento do segmento

post 1 img 3

De 7 a 12 de outubro a Kawasaki Motores do Brasil esteve presente no Salão Duas Rodas 2015, maior evento do segmento na América Latina. Com um estande de 1.520 metros quadrados no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo, a marca apresentou seu line-up com os grandes lançamentos da temporada: A Ninja H2R, superesportiva mais potente do mundo e a nova Ninja ZX-10R, a supermáquina campeã mundial de superbike. 42 produtos estiveram em exposição, entre eles a linha náutica, com os Jet Ski® Ultra 310LX e Ultra 310R, a nova linha off-road,com destaque para a KX450F, além das famílias Z, Ninja, Versys e Vulcan.

Mauro Ferraz, gerente comercial e de marketing da Kawasaki Motores do Brasil, ressaltou a importância do evento para aquecer o mercado.

O Salão Duas Rodas é sempre um divisor de águas. Por pior ou melhor que seja o momento  que o setor atravessa, sempre que acontece um evento deste porte os apaixonados por motocicletas e o público que, por algum motivo deixou de ser motociclista, despertam. Para a Kawasaki o Salão Duas Rodas 2015 foi um sucesso,  uma ótima oportunidade para realizar vendas, estreitar relacionamentos e firmar novas e importantes parcerias”, afirmou.

Além de conferir o line-up repleto de atrações especiais da Kawasaki no Salão Duas Rodas o público também pôde bater um papo com os pilotos oficiais, que distribuíram fotos e autógrafos no estande da marca, e experimentar alguns dos modelos Kawasaki na área externa do Anhembi, no Duas Rodas Experience, o maior Test-Ride do país.

post 1 img 2

A Kawasaki Motores do Brasil comemora sete anos de atividade no país em excelente fase, oferecendo a maior e mais completa linha de motocicletas de alta performance do Brasil.

Sobre a Kawasaki Motores do Brasil Ltda.: A Kawasaki Motores do Brasil Ltda (KMB) é uma subsidiária integral da Kawasaki Heavy Industries Ltd (KHI) sediada no Japão. Em operação no Brasil desde outubro de 2008, a marca atua na importação, produção e comercialização de motocicletas, quadriciclos e motos aquáticas através de uma base operacional em São Paulo e uma fábrica no Pólo Industrial de Manaus.

JET SKI® é marca registrada da Kawasaki Heavy Industries Ltd (KHI) utilizada para denominar seus produtos de moto aquática em todo o mundo. É vetada a utilização do termo para caracterizar outros produtos do gênero que não sejam os da marca.

Fotos: Thiago Capodanno/VGCOM

 

 

 

 

“Um talento incontestável selou um título Mundial indiscutível”

 

 

Na etapa espanhola Pirelli do WorldSBK, Jonathan Rea foi coroado o Campeão de 2015.

O Piloto inglês da equipe Kawasaki persegui o título mundial desde 2009 e finalmente o alcançou obtendo a posição de 4o lugar.

Desde o início do WorldSBK, em 1988, Rea é o terceiro piloto a vencer o Campeonato com uma Kawasaki. O primeiro foi o americano Scott Russel (1993), e o outro piloto foi o companheiro de Rea, Tom Sykes.

 

82048_p11_ambience_full

 

 

Veja abaixo a notícia matéria original:

An undeniable talent seals an indisputable world title.

The Pirelli Spanish Round has gone down in history as the WorldSBK race meeting at which Jonathan Rea was crowned World Champion of 2015. The British rider, standard bearer of the Kawasaki Racing Team, clinched the ultimate goal in Race 1 courtesy of his fourth position. He has been pursuing the title since his first full campaign in 2009.

Rea first mounted the all-conquering Kawasaki Ninja ZX-10R at MotorLand Aragon on 17 November 2014, supported all the way by Team Manager and former rider Guim Roda. The Northern Irishman arrived in Malaysia at the start of August already with a mathematic chance of claiming the title, despite three rounds still remaining of the 13. After Race 1 at Jerez, he has now won 12 races this year and picked up 20 podium finishes from the first 21 races. He is chasing Doug Polen’s 1991 record of 17 race victories in one season, which now can only be equalled.

Since the inauguration of WorldSBK in 1988, Rea is the third rider to win the crown on a Kawasaki motorcycle. The first was American Scott Russell in 1993, while the next was Rea’s current team-mate Tom Sykes two decades later. Rea has also become the first different World Champion in as many years (with the last five titles having been sealed by Carlos Checa, Max Biaggi, Tom Sykes and Sylvain Guintoli) and the fifth British World Champion after Carl Fogarty, Neil Hodgson, James Toseland and the aforementioned Tom Sykes.

Although Rea’s raw talent has never been questioned over the past six seasons, all of which he contested on Honda machinery, it wasn’t until the 28-year-old from Ballymena rode the green bike until his maximum potential could be extracted. All the while off the track, the humble Briton has remained a professional, unassuming human being, rider, husband and father. He currently resides on the Isle of Man.

The coveted crown in his hands, the new number one faces the rest of the season with copious amount of convince, fully aware of the many goals he can still achieve and the fact that Jonathan Rea is the 2015 eni FIM Superbike World Champion.

 

Jonathan Rea Venceu as duas corridas do GP de Portugal.

Autor: LUSA (Record)
Fotos: GETTY IMAGES

O britânico Jonathan Rea (Kawasaki) venceu este domingo a segunda corrida e bisou no Grande Prémio de Portugal, no Autódromo Internacional do Algarve, somando a sua décima vitória da temporada no Mundial de Superbike, reforçando a liderança no campeonato.
Com a dobradinha em Portimão, o piloto da Honda somou a quarta dupla vitória nas 14 corridas da temporada, depois dos triunfos em Itália, Holanda e Tailândia.
Rea, que tinha vencido a primeira corrida com mais de nove segundos de vantagem sobre o seu compatriota e companheiro de equipa Tom Sykes, voltou a impor-se na segunda ronda, cumprindo as 20 voltas ao circuito, na distância de 91,840 quilómetros, em 34.33,783 minutos, à média de 159,430 km/h.
O piloto da Kawasaki terminou a corrida com uma vantagem confortável de mais de cinco segundos sobre o segundo, o italiano Davide Giugliano (Ducati), enquanto Leon Haslam (Aprilia) terminou na terceira posição a 6,689 segundos.
O britânico Tom Sykes, segundo do campeonato e que manteve acesa a disputa pela vitória da primeira corrida com Rea, não foi além do oitavo posto, terminando a mais de 19 segundos.
Chaz Davies (Ducati), terceiro na primeira corrida da ronda portuguesa, terminou a segunda ronda no quarto posto, a 10,445 segundos.
Jonathan Rea lidera o Mundial de pilotos, com 330 pontos, seguido por Tom Sykes, segundo, com 206, e Leon Haslam, terceiro, com 199.

Classificação da segunda corrida de Superbike:

1. Jonathan Rea, GB, (Kawasaki), 34.33,783 minutos (média de 159,4 km/h).

2. Davide Giugliano, Ita (Ducati), a 5,416 segundos.

3. Leon Haslam, GB (Aprilia), a 6,689.

4. Chaz Davies, GB (Ducati), a 10.445.

5. Michael vd Mark, Hol (Honda), a 14,122.

6. Sylvain Guintoli, Fra (Honda), a 14,265.

7. Jordi Torres, Esp (Aprilia), a 16,213.

8. Tom Sykes, GB (Kawasaki), a 19,384.

9. Leandro Mercado, Arg (Ducati), a 19,998.

10. Matteo Baiocco, Ita (Ducati), a 27,332.

 

Convite-H2

 

Participe do Evento de Lançamento da Ninja H2 na Rhino Motos Curitiba!

Dia: 24.06
Horário: 20h00

Com apresentação do Instrutor e piloto Bruno Corano.
Vagas Limitadas!

 

 

 

 

Kawasaki espanta crise e apresenta novos modelos na linha 2016

Infomoto
por Carlos Bazela / Aldo Tizzani

A Kawasaki não quer ouvir falar em crise no mercado. “Quando chegamos, em 2008, o Brasil também se encontrava em um mau momento, como agora. Mas não precisamos mais falar sobre isso. Vamos conhecer os modelos 2016 da Kawasaki que estarão nas concessionárias até junho”, avisa Ricardo Suzuki, o consultor de Marketing da empresa que tem sobrenome de fabricante rival.

Versys 650

versys-650-03

A crossover de média cilindrada foi outra novidade anunciada. Com visual mais moderno, elaaproveita a potência extra no motor bicilíndrico e o tanque de maior capacidade para focar ainda mais em viagens mais longas. Com a reestilização, a Versys recebeu carenagem e conjunto óptico semelhantes aos da Ninja 650 — com quem divide o motor, aliás.

O parabrisa estreito também deu lugar a outra peça, mais larga e com regulagem de altura manual, sem a necessidade de ferramentas. Grandes aletas laterais foram colocadas para proteger o radiador e diminuir turbulências.

versys-650-06

versys-650-05versys-650-04

 

 

 

 

 

 

 

O motor de dois cilindros recebeu 5 cv a mais, chegando a 69 cv (7.000 rpm). O torque também aumentou, para 6,5 kgfm a 7.000 rpm, e o tanque está maior, chegando a 21 litros. Já os freios mantiveram discos duplos com 300 mm mordidos por pinças de dois pistões na dianteira, enquanto na traseira recebeu um disco maior, com 250 mm de diâmetro e pinça de um pistão.

A Versys 650 continua sendo vendida nas versões standard e com ABS. Disponível já neste mês de abril, ela custa R$ 32.990 e R$ 35.990, respectivamente. Ambas as opções serão disponibilizadas nas cores verde e preta.

 

Versys 1000

versys-1000-01

Da mesma forma que acontecia com a geração anterior, a Versys 1000 partilha o design do modelo de 650 cc. Nesse caso, a inspiração para reformular a “irmã maior” foi a mesma: deixá-la mais confortável e convidativa para viagens. O conjunto ótico duplo, a nova carenagem com maior proteção aerodinâmica e o parabrisa ajustável sem a necessidade de chaves estão presentes, assim como na 650. Protetores de mão e cavalete central, outros itens que ajudam o piloto a enfrentar grandes distâncias, também foram incorporados na crossover.

A arquitetura de quatro cilindros em linha do motor foi mantida. Entretanto, ele está mais potente e agora produz 120 cv a 9.000 rpm. O torque ainda é de 10,4 kgfm, mas chega antes, aos 7.500 giros. Já o câmbio de seis marchas passa a contar com auxílio de uma embreagem deslizante, presente nas superbikes. O aumento na potência também resultou em discos de freio com diâmetro maior: 310 mm nos dois dianteiros e 250 mm atrás. Na Versys 1000 o freio ABS é de série. Com as novidades, ela “engordou” dez quilos, chegando a 250 kg (em ordem de marcha).

versys-1000-04 versys-1000-03 versys-1000-02

Os itens eletrônicos da geração anterior continuam, como os dois modos de entrega de potência — full e low — e o controle de tração com até três níveis de ajuste. O modelo standard chega às revendas em abril por R$ 53.990 nas cores laranja ou preta. A Kawasaki também confirmou a chegada da versão Gran Tourer, que traz malas laterais rígidas, top case e faróis de neblina, mas não informou o valor e sua data de disponibilidade.

SCROLL_TEXT

 

Quer saber mais sobre o modelo? Clique Aqui!

Se interessou pelas Novas Versys?
Fale com a gente!

Seu nome (obrigatório)

Seu e-mail (obrigatório)

Telefone (obrigatório)

Cidade

Para onde você quer direcionar essa mensagem:

 Curitiba Campo Grande

Assunto

Sua mensagem

UOL Blogosfera
Por Suzane Carvalho

zVulcan S action (6)b_resize

Está chegando às lojas o modelo 2016 da Kawasaki Vulcan-S.
Com novo design, ela vem com motor de 649 cm3 distribuídos em dois cilindros paralelos com 4 válvulas por cilindro e refrigeração líquida, que desenvolve 61 cv a 7.500 rpm com torque de 6,4 kgf.m a 6.600 rpm.
Vulcan S details (3)_resizeA suspensão dianteira é garfo telescópico com curso de 41 mm e a traseira, monoamortecedor com mola ajustável em 7 diferentes precargas.
O freio dianteiro é com um disco com 30 cm e cáliper com dois pistões e o traseiro, disco de 25 cm com um pistão.
O painel é duplo, com conta-giros analógico e as outras informações na parte digital.
A medida dos pneus originais é 120/70R18 na frente e 160/60R17 na traseira.

maneteAJUSTE A MOTO PARA O SEU TAMANHO
Além do belo design, um dos atrativos da nova Vulcan S é a possibilidade de ajustá-la ao seu tamanho e/ou estilo de pilotagem. A distância do guidão, pedais e banco são projetados para uma pessoa de estatura média, entre 1,70 e 1,85 m. Mas com os acessórios, ela “vestirá” bem a pessoas que medem de 1,55 a 1,93 m. As pedaleiras, por exemplo, podem ser reguladas em 2,5 cm; o guidão, 3,6 cm e o banco, até 5,3 cm, totalizando 18 combinações de posições.
Bolsas laterais, para-brisas e encosto para o carona estão entre os opcionais.

MEDIDAS:
Capacidade do tanque: 14 litros
Peso: 225 kg ou 228 a versão com ABS
dstância entre-eixos: 1,575 m
ditância mínima do solo: 13 cm
Altura média do banco: 70,5 cm
Caster: 31°
Trail: 120 mm
Cores: branca, preta ou roxa

O preço sugerido, base São Paulo, é de R$ 25.900 a versão sem ABS ou R$ 27.900 a com ABS, que só tem na cor roxa.

SCROLL_TEXT

Quer saber mais sobre o modelo? Clique Aqui!

Se interessou pela Nova Vulcan S?
Fale com a gente!

Seu nome (obrigatório)

Seu e-mail (obrigatório)

Telefone (obrigatório)

Cidade

Para onde você quer direcionar essa mensagem:

 Curitiba Campo Grande

Assunto

Sua mensagem